22 FEV. SEX. 22H
Grand Sun + Hickeys
Quina das Beatas Fest Warm-Up
Pop / Rock | CC | 3€ | M/12 anos


As Hickeys são um quarteto feminino, oriundo de Madrid, que se formou em 2017, constituído por Marta, Martina, Ana e Maite. Ao longo dos anos, têm atuado em festivais conceituados, como o Benicassim e irão brevemente atuar no SXSW 2019.
Imprevisibilidade e contradição são alguns dos elementos donde nasceu “Diamond Munch”, o seu primeiro EP, em 2018.
“A radiografia de uma parte de cada uma nós e de nenhuma à vez. Fragmentos do último ano condensados em 19 minutos. É estridente e suave. É duro e aveludado. O baixo está sempre presente e os solos de guitarra às vezes choram. Quatro vozes gritam, murmuram e de vez em quando cantam.
Isto é Glitter-Punk.”

Os Grand Sun lançaram o seu primeiro álbum, “The Plastic People of the Universe”, em 2018.
Deste disco saíram malhas que nos falam de personagens peculiares. Todos somos retratados, de certa forma. É um reflexo, claro, não só desses meses anteriores, mas também dessas amizades, dos desamores, da contemplação, dos concertos que partilham e da consequente boémia.
Depois de uma temporada dividida entre constantes viagens e as atuações na Galeria Zé Dos Bois, Music Box, Sabotage ou Lx Factory, este disco é o reflexo de tudo que o que se passou entretanto.
O que mudou?
Quase tudo, mas neste momento, que a boémia continue e "Realise, Realise, Realise"…

15 MAR. SEX. 21.30H
Alien Church + Lingus + Esfera
LSM DJ Set (no Club Lounge a partir das 01.30h)
Quina das Beatas Fest
Pop / Rock | CC | 3€ | M/12 anos


Os Alien Church aterram mais uma vez a sua “nave” na catedral do Centro de Artes do Espectáculo de Portalegre, para espalhar a palavra, através dos seus profetas: Marquis Cha Cha, Luís Vintém, João Delicado e João Paulo Miranda.
Nascidos no ano de 2016, os Alien Church apresentam um punhado de canções cósmicas que evocam a viagem intergaláctica, a descendência e a ascendência transcendente, as "aparições", a Palavra…

Os Lingus são um hibrído francês, baseado em Lyon, cujos membros eram originalmente músicos de rock. O seu estilo único mistura vários géneros, tais como rock matemático, pesados riffs de guitarra, samples eletrónicos, jazz e melodias orientais. Os Lingus compõem a sua música coletivamente, com uma qualidade mesmerizante, transcendendo todas as suas influências para criar um som excitante.
A banda foi formada em 2016, e lançou nesse ano o seu primeiro EP, intitulado “The Story of Mr. Sides”. Com o lançamento do seu novo EP, sabiamente intitulado “Acceleration”, os Lingus estão cada vez mais velozes…

Esfera é uma banda de rock progressivo de Setúbal, formada em meados de 2013 por Nuno Aleluia, Diogo Marrafa, Pedro Dinis, João Completo e Vasco Rydin. A Esfera traz com ela a sonoridade e o legado do rock progressivo que, em modo de sinestesia, exprime as suas próprias interpretações das cores através das suas criações, com músicas que percorrem todo o espectro cromático dos sentimentos que conhecemos e a que todos nos associamos.
O seu registo de estreia intitula-se “All The Colours of Madness”, álbum conceptual que representa uma variedade de paisagens sonoras e influências da banda setubalense e uma afirmação da sua versatilidade.


16 MAR. SÁB. 21.30H
Miguel Gromicho + Palmers + Kings of the Beach + Sun Blossoms
Lonely Low Rosa DJ Set (no Club Lounge a partir das 01.30h)
Quina das Beatas Fest
Pop / Rock / Punk | CC | 3€ | M/12 anos


Miguel Gromicho é um guitarrista e compositor que, depois de ter passado os últimos anos a tocar ao vivo em bandas de covers, como os Art n’ Soul e os MG3, se estreia agora no universo dos originais, com o disco “História por Contar”, um Maxi-Single que mistura várias referências do pop, blues e rock português. O arronchense Miguel Gromicho vai buscar várias referências a artistas como The Beatles, John Mayer, Rui Veloso, Xutos & Pontapés ou Stevie Ray Vaughan, num trabalho totalmente cantado em português.

Fiéis a riffs electrizantes e ritmos acelerados, os Palmers surgiram nas Caldas da Rainha horas depois de um concerto de uma das suas bandas preferidas.
Raquel Custódio, na bateria, Cláudia Sofia, no baixo e Vasco Cavalheiro, na guitarra, trazem do sótão da avó uma promissora e marcada sonoridade, que junta garage, surf e punk rock.

A banda Kings Of The Beach nasceu em Vigo, no Verão quente de 2013, com Adrián Rodríguez, na guitarra e voz, Yago Guirado, no baixo e voz e Samuel Otero, na bateria.
O seu som pode-se definir como selvagem, rápido, e “praieiro”, como “un sopapo en la cara”. Já participaram em importantes festivais, como o SXSW, em Austin, no Texas, partilhando o palco com bandas nacionais e internacionais que gozam de reconhecimento na cena garage/punk mundial, como The Gories, White Fang, Metz, Sexy Zebras, Los Nastys, White Fang, Terbutalina e Gringo Star, entre outros.

Sun Blossoms é um projeto pessoal e intransmissível, desenvolvido nos anos formativos de Alex Fernandes. Há qualquer coisa de suburbano na forma como aborda a música que compõe à guitarra. Se na base das suas canções encontramos a repetição encantatória do riff (tão celebrada, por exemplo, nos The Velvet Underground ou nos Brian Jonestown Massacre), é no seu tratamento do peso e do ruído que encontramos um manifesto contra o tédio niilista dos nossos tempos. Avolumada pelo baixo de Alexandre Rendeiro e pela bateria de Luís Barros, a guitarra de Alex Fernandes rasga linhas de fuga melódicas que facilmente se incendeiam em sessões catárticas de improviso, gestos que lembram as explorações sonoras de um Mizutani.


Lonely Low Rosa
Ela não sabe quais dos seus pleasures são guitly.
Música para dançar sem par.