18 Nov :: Panado + Veenho




18 NOV. SÁB. 23H
Panado + Veenho
Quina das Beatas
Rock | CC | 3€ | M/12 anos


Sediados na Amexoeira, mas com as asas viradas para o mundo, é lá que chateiam os vizinhos e todos os mecânicos das redondezas. Depois de assegurarem que os mais diversos palcos deste país tinham apoio lombar, a jovem banda acampou por breves momentos nos Estúdios King (Hey Pachuco!) durante o passado Inverno, e com a ajuda do seu fiel companheiro Cláudio Fernandes, (PISTA, Nada-Nada, Cangarra entre outros), regurcitou o seu primeiro longa-duração.

"Juventude Coxa" são 3 putos, 8 músicas e tudo o que ficou pelo meio. Mais do que músicas são canções. E mais do que canções, são malhas. São 35 minutos de feedback, distorção e esquizófrenia latina. Com mais ouvidos que barriga, os Panado presenteiam-nos com uma viagem alucinante ao rock sónico dos anos 90, misturada numa nuvem de delay e melodias hipnóticas, onde o ritmo, a cor e a atmosfera das suas canções tornam "Juventude Coxa" num teatro sonoro especial.

Foi numa garagem algures em Belém que os amigos António (na guitarra e na voz), Martim (na bateria), Tó Bea (na guitarra) e Xixo (no baixo) começaram a tocar de modo irregular durante o Inverno de 2014, como que a fingir que era Verão e estavam num moshpit suado do The Smell (Los Angeles) no mítico ano de 2009.

No início do Verão de 2015, a banda começa a ensaiar frequentemente, surgindo o nome Veenho da união de conceitos como a vizinhança e a bebida sacra, que é da mesma homofonia. Entretanto, por casualidades da vida, Tó Bea acaba por abandonar o projecto, entrando Valera na guitarra.

O som do grupo é militante do garage rock moderno de várias geografias, não fossem estes rapazes fãs de sonidos como Dead Ghosts, The Parrots, Os Passos Em Volta, Filipe Alvim ou Lê Almeida. Em Dezembro de 2015, gravaram em take directo, sob produção e alçada de Filipe Sambado, um EP de seis faixas com títulos deliciosos como “Paracetamol” ou “Saideira”, sendo que a sua edição (em cassete, claro) é assumida pela frenética Xita Records.

0 comentários: